O Profeta da Misericórdia Site

Liga do Mundo Islâmico - Organização Mundial para Apresentar e Apoiar o Mensageiro de Deus

mohammad

Salman, o persa, foi escravo durante algum tempo. Era escravo de

uma pessoa rica. Por isso, ele nمo participou de vلrias campanhas

com o Profeta (Deus o abençoe e lhe dê paz), como Badr e Uhud.

Ele foi ter com o Profeta (Deus o abençoe e lhe dê paz). Este lhe

aconselhou que pedisse a sua liberdade por escrito ao amo. Este

estipulou o seu preço em plantar trezentas tamareiras e quarenta

onças de ouro.

725  Enciclopédia Jurídica. Ministério dos Bens Religiosos e dos Assuntos Islâmicos de Kuwait. Capítulo: “Escravidão”.

Os muçulmanos participaram no pagamento do estipulado sobre

Salman. Trouxeram-lhe as tamareiras, cavaram com ele os locais e o

prَprio Profeta (Deus o abençoe e lhe dê paz) plantou-as com as suas

nobres mمos e Salman foi liberto.

A primeira campanha foi a Expediçمo dos Partidos. Foi ele que deu a

idéia de se abrir uma grande vala ao redor de Madina para protegêla

dos invasores. Quando a idéia deu certo, cresceu o conceito de

Salman pelo seu equilيbrio e seu empenho a serviço do Islam com

a idéia da vala. Os ansar disseram: “Salman é nosso.” Os Muhajirin

disseram: “Salman é nosso.”

O Profeta (Deus o abençoe e lhe dê paz) disse: “Salman pertence à

casa profética.” 726

Dessa forma, o conceito dos escravos cresceu no Estado islâmico pelo

seu empenho e prestaçمo de serviços à sociedade. A sua condiçمo de

escravos nمo os rebaixava de seus irmمos muçulmanos. Nisso reside

o método prلtico em que o Profeta (Deus o abençoe e lhe dê paz)

reuniu o empenho de seu povo para a libertaçمo de um escravo.

Dessa forma, obriga a sociedade a se empenhar para libertar o ser

humano da escravidمo.

726 Narrado por Hákim no “Mustadrak”, nº 6541; pelo Tabaráni, nº 6040. O episódio está espalhado nos livros da Biografia do Profeta nos acontecimentos da vala.