O Profeta da Misericórdia Site

Liga do Mundo Islâmico - Organização Mundial para Apresentar e Apoiar o Mensageiro de Deus

As necessidades da Humanidade na missão do Profeta Muhammad

Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) demonstrou respeito ímpar e apreciação por todos os Profetas que o precederam; entre eles estão Abraão, Moisés e Jesus (Que a paz esteja sobre todos eles). Allah revelou a ele palavras reputando que aquele que nega ou desrespeita qualquer um dos profetas não pode ser Muçulmano. O Islam se refere a todos os profetas como uma fraternidade, convidando as pessoas à crença de que não há divindade exceto Allah, único, sem associados.

Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) falava afeiçoadamente de seus irmãos, os profetas e mensageiros, referindo-se a alguns como “o servo virtuoso” ou “meu irmão”. Ele dirigiu seus seguidores a respeitá-los e reverenciá-los, e os proibiu de considerá-lo melhor que qualquer um deles. Ainda mais importantes são as palavras abundantes que Allah revelou no Alcorão em apreciação dos profetas anteriores, e ordenou ao Profeta Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) que os tomasse por modelo. Isso confirma a fraternidade dos Profetas, bem como a apreciação do último para com os anteriores; seu respeito e reverência para com todos eles. DE FATO, Allah narrou as histórias dos Profetas anteriores como forma de conforto para o Profeta Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) durante o sofrimento e exaustão pelos quais ele passou quando chamava as pessoas ao Islam.

Eis alguns textos que confirmam o que foi mencionado:

Allah disse:

“São aqueles que Allah guiou. Toma, pois, seu exemplo. Dize-lhes: Não vos exijo recompensa alguma, por isto. Ele (o Alcorão) não é mais do que uma mensagem para os mundos.” (6:90)

E Ele disse:

“O Mensageiro crê no que foi revelado por seu Senhor e todos os fiéis crêem em Allah, em Seus anjos, em Seus Livros e em Seus mensageiros. Nós não fazemos distinção entre os Seus mensageiros. Disseram: Escutamos e obedecemos. Só anelamos a Tua indulgência, ó Senhor nosso! A Ti será o retorno!” (2:285)

Um capítulo inteiro do Alcorão é chamado “Al-Anbiyaa”, os Profetas. Depois de mencionar um bom número deles e alguns de seus atributos singulares, Allah conclui dizendo:

“E decerto eles se esmeravam nas boas ações e nas súplicas a Nós, com esperança e temor, e eram a Nós humildemente submissos”. (21:90)

O Profeta Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) declarou,

“Eu sou, dentre as pessoas, a mais próxima de Jesus, filho de Maria, neste mundo e no outro. Os Profetas são Irmãos; suas mães são diferentes, mas sua religião é somente uma.”[1]

E ele (Deus o abençoe e lhe dê paz) complementou,

“Eu digo como o servo virtuoso (i.e. Jesus) disse: ‘Fui testemunha deles enquanto estive entre eles.”[2]

Ele (Deus o abençoe e lhe dê paz) também disse,

“Lembro-me de ter dito de meu irmão, (Profeta) Salomão, ‘Meu Senhor, perdoa-me e concede-me um reino como ninguém mais terá depois de mim. Decerto, tu és o Concessor. ’” (30:35)[3]

Essa é a atitude positiva do Alcorão e da Sunnah (ensinamentos proféticos) acerca dos profetas e mensageiros de Deus. Na realidade, o Profeta Muhammad (Deus o abençoe e lhe dê paz) informou todos os Muçulmanos através da revelação de Allah de que alguém que rejeita qualquer um dos profetas anteriores não é Muçulmano. Isto é atestado como segue:

“Aqueles que não crêem em deus e em Seus mensageiros, pretendendo cortar os vínculos entre Deus e Seus mensageiros, e dizem: Cremos em alguns e negamos outros, intentando com isso achar uma Saida.

São os “verdadeiros incrédulos; porém, preparamos para eles um castigo ignominioso.” (4:150-151)

Além disso, encontramos no Alcorão a condenação dos Judeus que assassinaram e fizeram mal aos Profetas:

“Havíamos aceitado o compromisso dos israelitas, e lhes enviamos os mensageiros. Mas, cada vez que um mensageiro lhes anunciava algo que não satisfazia os seus interesses, desmentiam uns e assassinavam outros.” (5:70).

Allah também revelou:

“Estarão na ignomínia onde se encontrarem, a menos que se apeguem ao vínculo com Deus e ao vínculo com o homem. E incorreram na abominação de Deus e foram vilipendiados, por terem negado os Seus versículos, morto iniquamente os profetas, bem como por terem desobedecido e transgredido os limites.” (3:112).

 

--------------------------------------------------------------------------------

[1] Narrado por Al-Bukhari

[2] Narrado por Al-Bukhari. A referência do Alcorão é 5:117

[3] Narrado por Al-Bukhari